top of page
  • Foto do escritorLuiza Oliva

Tendências CASACOR 2023

Atualizado: 29 de ago. de 2023

Materiais naturais: leveza nos tons e no fazer manual


Os materiais naturais, transformados à mão, de forma artesanal, estão em alta. Confira os ambientes da CASACOR São Paulo que apostaram em uma estética leve, valorizando o conforto, a tranquilidade, a sustentabilidade e os espaços como locais de relaxamento e paz.


Os materiais naturais eleitos pela arquiteta Isabella Nalon para o Refúgio Conexão reforçam a busca por acolhimento e sustentabilidade. Na mesa de chá, as cadeiras Oscarina se destacam (design de Linda Martins com intervenção da crocheteira Maria da Conceição, de Tiradentes). As luminárias de papiro (Casa Bonita) e as folhas de lã de ovelha, criadas pela artista Inês Schertel, são sinônimos de leveza, autenticidade e trazem poesia ao projeto.

No Refúgio Conexão, Isabella Nalon valorizou o artesanato brasileiro. Na estante de nichos, entre as peças de madeira, sementes e barro, encontram-se os vasos de cerâmica dos artesãos do Vale de Jequitinhonha (Paiol) com intervenção da artista Ju Amora. No carrinho de chá, bules de cerâmica (Elizethe Potye), ervas em vidros (LS Selection). Acima dele, na parede, a tapeçaria de seda Asafo, assinada por Alex Rocca. (Fotos: Rafael Renzo).




Slow living

@isabellanalon


No Refúgio Conexão, a arquiteta Isabella Nalon se inspirou no conceito Slow Living, ou vida lenta, propondo um novo olhar sobre o uso do tempo e uma estética que valoriza um estilo de morar mais leve e desacelerado. Materiais naturais como lã, juta, algodão, barro, palha, entre outros, compõem uma estética delicada e agradável por meio de texturas que convidam ao toque. A naturalidade da madeira pode ser conferida com a magnitude de sua textura, que nos remete ao aconchego.


A composição de cores acolhedoras e suaves, criando uma sensação de monocromia (piso, parede e teto na mesma tonalidade), acompanhada pela diversidade de texturas, resulta em equilíbrio e estimula um novo ritmo ao cotidiano, compondo um clima intimista, acalentador. Isabella buscou por nuances calmas e, com êxito, conquistou a sensação de bem-estar através da combinação de um mobiliário aconchegante, diferentes materiais naturais, vegetação nativa e obras de arte artesanais, criando assim uma ode ao respiro que muitas vezes pode melhorar os nossos sentidos.




Spa para o corpo, mente e alma

@cacauribeirointeriores


Um verdadeiro spa para o corpo, mente e alma: a designer de interiores Cacau Ribeiro estreou na CASACOR São Paulo com o ambiente “Minha morada, meu canto”, espaço de 70 m2. com spa, canto de meditação, canto de tecelagem e living.

O lugar remete a lembranças, bem-estar e conforto. Destaque para o piso em madeira de demolição, para a marcenaria exclusiva desenhada pelo escritório Cacau Ribeiro e os tecidos nas paredes para dar mais aconchego e personalidade. Os mobiliários e as obras de arte garimpadas com todo cuidado e o mix de cores e texturas dos tapetes reforçam o conceito do espaço. “Fiz esse ambiente pensando em criar algo acolhedor e de descompressão, para fugir da correria do dia a dia”, entrega Cacau. A preocupação com a sustentabilidade surge no piso de demolição, no uso de madeira certificada, de lâmpadas de led, na pintura com tintas à base d’água e na obra seca.


Os cantos de tecelagem, de meditação/yoga e o spa são integrados a um grande e confortável living no ambiente da designer de interiores Cacau Ribeiro. (Fotos: Divulgação)



A Casa Líder, assinada pelo escritório Figueiredo Fischer, privilegiou peças com design limpo e orgânico, além dos tons terrosos. (Fotos: Ricardo Bassetti)

Loft acolhedor, inspirado na natureza

@figueiredo_fischer


O escritório Figueiredo Fischer, sob comando de Gustavo Figueiredo e Lívia Fischer, estreou na CASACOR São Paulo 2023 com o espaço Casa Lider, inspirado nos tons e texturas da natureza. O conceito do projeto remete à sensação de acolhimento e conforto natural, resultado do uso de materiais que se harmonizam entre si. Os tons terrosos presentes nos ambientes, o piso de cacos de granito rústico e painéis em madeira freijó lavada, aliados às paredes texturizadas, compõem um equilíbrio com o mobiliário Lider escolhido para o projeto.

No living, o nicho com bordas arredondadas e fundo em mármore travertino romano rústico traz mais texturas naturais ao ambiente. Entre as obras de arte presentes, a escultura Heras, da artista Inês Schertel, feita em lã de ovelha, em um processo 100% manual, chama a atenção do olhar.

Privilegiando peças com design limpo e orgânico, premissa que guiou também a escolha dos planejados, a mesa de jantar Polimorfa, assinada por Brunno Jahara, e a cadeira Viés, assinada pelo Estúdio Lider, se destacam na sala de jantar. Na sala de estar, o sofá Curvo, do Estúdio Lider, abraça o ambiente e seus visitantes, enquanto a poltrona Sanduba, de Marina Marchesi, com sua forma leve e descomplicada, é protagonista do ambiente.





Conexão entre edifício histórico e natureza

@advp_arquitetura


O Conjunto Nacional, sede da 36ª edição da CASACOR São Paulo foi a inspiração para as arquitetas Andressa Danielli e Vanessa Pasqual, da AD|VP Arquitetura, projetarem a Bilheteria Elemento, um espaço com 120 m² que mescla natureza, design e tecnologia logo na entrada do evento. Como ponto de partida para a criação do projeto, foram reproduzidos os detalhes da cúpula central do Conjunto Nacional em uma tela tensionada, iluminada e de material 100% sustentável, que fica na bilheteria.


No lounge, o mobiliário e as peças em formas orgânicas, como o Sofá Pedras, de Roberta Banqueri e o tapete da Via Estar, se conecta com as obras de arte feitas a mão, da artista Gabriela Schattan. “Combinando cores e formas, transmitindo sentimentos e inspirando, as dobraduras despertam a profundidade de ser, ver, pensar e sentir a vida em diferentes perspectivas. São obras que conectam”.


As arquitetas mostraram o comprometimento com a sustentabilidade por meio do uso de materiais como a Lastra, bem como a inclusão de marcenaria de reflorestamento, tapete em pet e o paisagismo com biodiversidade brasileira, como a Jabuticabeira, Pacová de Macaco e Palmeira Petrópolis.


Materiais sustentáveis aliados à tecnologia destacaram a Bilheteria da CASACOR São Paulo. (Fotos: Rafael Renzo)


Tendência comportamental e arquitetônica proposta pela CASACOR SP, o movimento das Tiny Houses, como a Cabana RI.TO, sugere um estilo de vida mais simples, com espaços de metragem reduzida e aproveitamento de recursos. (Fotos: Henrique Padilha)

Matérias-primas naturais e orgânicas

@rcaminada

@totapenteadointeriores


Com 44 metros quadrados, a Cabana RI.TO, tiny house projetada pelo arquiteto Ricardo Caminada e pela designer de interiores Tota Penteado, maximizou o uso do espaço disponível, de forma multifuncional e tecnológica, em um layout inteligente e equilibrado. A abordagem estética é essencialista, na arquitetura, no design de interiores e nas artes decorativas. Os ambientes privilegiam a praticidade, o conforto, a tranquilidade e o bem-estar.


Cuidadosamente, foram escolhidas matérias-primas naturais e orgânicas para serem integradas ao ambiente, a começar pelos materiais de construção ecológicos, o vidro 100% reciclável, as madeiras de reuso e as estruturas metálicas em alumínio e aço corten.


Para garantir a durabilidade e fácil manutenção, os profissionais optaram por revestimentos econômicos em granilite. Além disso, chamam a atenção os trabalhos artesanais em pura lã e fibras de bananeira, criados por Tiago Braga para a Oiamo Design, feitos a mão com técnicas ancestrais por cooperativas de mulheres artesãs no extremo sul do Brasil.


Contemporânea, a cabana contempla equipamentos tecnológicos e metais nobres, ao

mesmo tempo em que celebra o design autoral e a qualidade artesanal em todo o

processo produtivo, desde sua concepção até o refinado acabamento.






RAFA ZAMPINI

@rafazampini_arquitetura


Foi no ideal filosófico japonês wabi sabi que o arquiteto Rafa Zampini se inspirou para conceituar o projeto arquitetônico da Casa Almar, seu espaço na CASA COR São Paulo, apostando na imperfeição proposital e no efeito do tempo para tornar as coisas belas e impermanentes. Zampini fez uso de materiais sustentáveis de características rústicas e transitórias, como aparas de madeiras de descarte na estrutura externa, deque de cumaru, folhas de bananeiras, piso de caco não retificado, além de texturas naturais, tons terrosos e elementos de minimalismo intencional que estimulam os sentidos.


“Tudo foi pensado e projetado para proporcionar bem-estar, acessibilidade e conforto acústico durante a estada no bangalô", detalha Rafa Zampini. Com 36 metros quadrados é apresentado no formato de suíte, com destaque para a copa de apoio pequena e prática, a banheira em mármore bruto esculpido e os móveis com design atemporal, como a poltrona Jangada, de Jean Gillon.


Projeto de Rafa Zampini destaca as vantagens da construção modular a partir de propostas de personalização em um ambiente intimista e minimalista e com uso de materiais sustentáveis. (Fotos: João Paulo Oliveira)







68 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page